sexta-feira, 12 de março de 2010

DA HUMILDADE Á ARROGÂNCIA


Tenho sido o que sempre fui. Não renego as minhas origens.
Costumo dizer que tenho a 4ª classe mal tirada e carrego botijas de gás, mas isso não me retira a importância que possa ter na sociedade.
Aceito toda a evolução cultural/social/económica de certas pessoas.
O que eu tenho pena é que, essas pessoas, ao contrário de mim, reneguem as suas origens.
Há pessoas que nascem no seio de famílias humildes e ao longo da vida, devido à sua evolução, nomeadamente académica, percam essa humildade e se tornem arrogantes.
É-me difícil suportar a arrogância de certas pessoas.
Gosto de ser tratado como trato o meu semelhante, principalmente com educação.
Nada custa, por exemplo, um bom dia ou uma boa noite, uma saudação e só depois discutirmos um assunto, resolver um problema.
A entrada de rompante sobre um assunto, sem antes haver um cumprimento ou uma saudação, deixa-me deveras, quase, em estado de nervos.
Não fui habituado assim e, confesso, não tolero.
Mas este é apenas um desabafo.
Situações destas acontecem amiúde.
Como é possível, num Mundo que se quer mais humano, mais fraterno, mais sociável, ainda haver gente que nos olhe de cima para baixo, quando, nas origens, somos idênticos?
Em pleno século XXI ainda há gente que vive com mentalidade de século XVIII.
Aquela mania de ser mais importante do que eu, só porque tem um curso superior, ou porque tem uma conta bancária superior à minha, custa-me aceitar.
Afinal todos nascemos e morremos de igual maneira, isso, as pessoas, não pensam.
A vida é uma fugaz passagem terrena e a qual devemos aproveitar da melhor maneira, com ou sem cursos superiores, com ou sem gordas contas bancárias, mas essencialmente com humanismo e humildade.
Acima de tudo, viver a vida, com amizade e respeito pelo seu semelhante.

7 comentários:

  1. Totalmente de acordo meu amigo.És um grande senhor independentemente das tuas habilitações literárias.Isso não faz ninguém melhor que ninguém.A diferença reside apenas no carácter,na inteligência e do saber cultural que tu tens e muitos letrados gostariam de possuir!

    ResponderEliminar
  2. Aplauso para o amigo!
    Aplauso para as sábias e certeiras palavras!
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  3. É bem verdade!
    Por vezes, as habilitações literárias aumentam a formação académica, mas tiram educação e humildade.
    Mas acho que isso vai do carácter de cada um.
    Jamais deixarei de ser humilde por ter tirado um curso. Jamais deixarei de dizer Bom dia e Boa tarde àqueles que sempre fizeram parte da minha vida.
    Jamais terei uma postura diferente, daquela que sempre tive.
    O curso foi uma mais-valia para mim, em termos pessoais. Em nada interfere nas minhas relações inter-pessoais e humanas.
    Tenho dito!

    Beijinhos

    Filipa Salgueiro

    ResponderEliminar
  4. São tão evoluidos que até casam com pretas, que as brancas meteram-lhes os cornos.

    ResponderEliminar
  5. Subscrevo a 100% o que a Filipa Salgueiro disse. Termos um curso superior não faz de nós pessoas melhores ou piores que ninguém. Somos todos iguais!!

    ResponderEliminar
  6. Meu caro amigo Raul
    Eu também assim entendo e defino os grandes Homens pela sua humildade, Caracter e Verticalidade,bem como educaçao.
    Mas como diz o ditado: Quem quiser ver um pobre soberbo é dar-lhe a chave de um palheiro.

    ResponderEliminar